Testes de função pulmonar

Para usar os recursos de compartilhamento nessas páginas, habilite o JavaScript.

Eles são um grupo de testes que medem o funcionamento dos pulmões.



Como o teste é realizado

A espirometria mede o fluxo de ar. Ao medir a quantidade de ar que você expira e a rapidez com que você expira, a espirometria pode avaliar uma ampla gama de doenças pulmonares. Em um teste de espirometria, enquanto você está sentado, você respira por um bocal conectado a um instrumento chamado espirômetro. Isso registra a quantidade e a frequência do ar inspirado e expirado durante um período de tempo. Em pé, alguns números podem ser ligeiramente diferentes.



Para algumas das medições de teste, você pode respirar normalmente e com calma. Outros testes requerem uma inspiração ou expiração forçada após uma respiração profunda. Às vezes, você será solicitado a inspirar um gás ou medicamento diferente para ver como isso altera os resultados do teste.



A medição do volume pulmonar pode ser feita de duas maneiras:

  • A forma mais precisa é chamada de pletismografia. Você se senta em uma caixa transparente lacrada a vácuo que parece uma cabine telefônica. O técnico pede que você inspire e expire em um bocal. Mudanças na pressão dentro da caixa ajudam a determinar o volume pulmonar.
  • O volume pulmonar também pode ser medido quando você respira hélio ou gás nitrogênio através de um tubo durante um período de tempo. A concentração de gás em uma câmara conectada ao tubo é medida para calcular o volume pulmonar.

Para medir a capacidade de difusão, você respira um gás inofensivo, chamado traçador, por um período muito curto, geralmente apenas uma respiração. Em seguida, a concentração do gás no ar exalado é medida. A diferença na quantidade de gás inalado e exalado mede a eficiência com que esse gás viaja dos pulmões para o sangue. Esse teste permite que o profissional de saúde estime o quão bem os pulmões movem o oxigênio do ar para a corrente sanguínea.



Preparação para o exame

Não coma refeições pesadas antes do teste. Além disso, não fume por 4 a 6 horas antes disso. Eles fornecerão instruções específicas se você precisar interromper o uso de medicamentos inalatórios ou broncodilatadores. Pode ser necessário inalar um medicamento antes ou durante o teste.

Como será o teste

Como o teste envolve respiração rápida e difícil, você pode sentir algum grau de falta de ar ou tontura temporária. Você também pode ter uma leve tosse. Você respira através de um bocal bem ajustado e clipes para o nariz serão colocados. Se você for claustrofóbico, a parte do exame em cabina fechada pode ser desconfortável.

Siga as instruções para usar o bocal do espirômetro. Deixar de selar os lábios ao redor do bocal pode causar resultados imprecisos.




o que significa albumina alta no exame de sangue

Razões pelas quais o teste é feito

Os testes de função pulmonar são feitos para:

  • Diagnosticar certos tipos de doenças pulmonares, como asma, bronquite e enfisema
  • Encontrar a causa de uma dificuldade respiratória
  • Avalie se a exposição a poluentes no trabalho afeta a função pulmonar
  • Avalie a função pulmonar antes de alguém fazer uma cirurgia
  • Avalie o efeito dos medicamentos
  • Medir o progresso no tratamento de uma doença
  • Medir a resposta ao tratamento da doença vascular cardiopulmonar

Resultados normais

Os valores normais são baseados na idade, altura, raça e sexo. Os resultados normais são expressos em porcentagem. Geralmente, um valor é considerado anormal se for aproximadamente inferior a 80% do valor esperado.

Os intervalos de valores normais podem variar ligeiramente entre diferentes laboratórios, que se baseiam em formas ligeiramente diferentes de determinar os valores normais. Converse com seu provedor sobre o significado de seus resultados de teste específicos.

As diferentes medidas que podem ser encontradas em seu relatório após os testes de função pulmonar incluem:


tomografia computadorizada de abdome e pelve

  • Capacidade de difusão para monóxido de carbono (CDMC)
  • Volume de reserva expiratória (SEE)
  • Capacidade vital forçada (FVC)
  • Volume expiratório forçado em 1 segundo (FEV1)
  • Fluxo expiratório forçado de 25 a 75% (FEF25-75)
  • Capacidade residual funcional (CRF)
  • Ventilação voluntária máxima (VVM)
  • Volume residual (VR)
  • Fluxo expiratório máximo (PFE)
  • Capacidade vital lenta (CVL)
  • Capacidade pulmonar total (CPT)

Significado de resultados anormais

Resultados anormais geralmente significam que você pode ter doença pulmonar ou torácica.

Algumas doenças pulmonares (como enfisema, asma, bronquite crônica e infecções) podem fazer com que os pulmões retenham muito ar e demorem mais para esvaziar. Essas doenças são chamadas de distúrbios pulmonares obstrutivos.

Outras doenças pulmonares fazem com que os pulmões fiquem com cicatrizes e fiquem menores, de modo que contêm muito pouco ar e são insuficientes para transferir oxigênio para o sangue. Exemplos desses tipos de doenças incluem:

  • Excesso de peso extremo
  • Fibrose dos pulmões (cicatrizes ou espessamento do tecido pulmonar)
  • Sarcoidose e esclerodermia

A fraqueza muscular também pode causar resultados de testes anormais, mesmo se os pulmões estiverem normais, isso é semelhante a doenças que causam pulmões menores.

Riscos

Existe um pequeno risco de atelectasia pulmonar (pneumotórax) em pessoas com um certo tipo de doença pulmonar. O teste não deve ser realizado em uma pessoa que teve um ataque cardíaco recente, que tem outros tipos de doença cardíaca ou que teve atelectasia pulmonar recente.

Nomes alternativos

PFP; Espirometria; Espirograma; Testes de função respiratória; Volume pulmonar; Pletismografia

Imagens

  • EspirometriaEspirometria
  • Teste de fósforoTeste de fósforo

Referências

Gold WM, Koth LL. Teste de função pulmonar. Em: Broaddus VC, Mason RJ, Ernst JD, et al, eds. Murray e Nadel's Textbook of Respiratory Medicine . 6ª ed. Filadélfia, PA: Elsevier Saunders; 2016: cap 25.

Putnam JB. Pulmão, parede torácica, pleura e mediastino. In: Townsend CM Jr, Beauchamp RD, Evers BM, Mattox KL, eds. Sabiston Textbook of Surgery: The Biological Basis of Modern Surgical Practice . 20ª ed. Filadélfia, PA: Elsevier; 2017: cap 57.

Scanlon PD. Função respiratória: mecanismos e testes. In: Goldman L, Schafer AI, eds. Goldman-Cecil Medicine . 26ª ed. Filadélfia, PA: Elsevier; 2020: cap 79.

Última revisão em 14/10/2019

Versão em Inglês revisada por: Denis Hadjiliadis, MD, MHS, Paul F. Harron Jr. Professor Associado de Medicina, Pulmonar, Alergia e Cuidados Críticos, Perelman School of Medicine, University of Pennsylvania, Philadelphia, PA. Também revisado por David Zieve, MD, MHA, Diretor Médico, Brenda Conaway, Diretora Editorial e o A.D.A.M. Equipe editorial.

Tradução e localização por: DrTango, Inc.

AsmaAsma Continue lendo Bronquite crônicaBronquite crônica Continue lendo Doença de obstrução pulmonar crônicaDoença de obstrução pulmonar crônica Continue lendo