Nefropatia membranosa

Para usar os recursos de compartilhamento nessas páginas, habilite o JavaScript.

É um distúrbio renal que leva a alterações e inflamação das estruturas renais que ajudam a filtrar resíduos e fluidos. A inflamação pode causar problemas na função renal.



Causas

A nefropatia membranosa é causada pelo espessamento de uma parte da membrana basal glomerular. Essa membrana é uma parte dos rins que ajuda a filtrar resíduos e fluidos extras do sangue. A razão exata para esse espessamento é desconhecida.



A membrana glomerular espessada não funciona como deveria. Conseqüentemente, grandes quantidades de proteínas são perdidas na urina.



Essa condição é uma das causas mais comuns de síndrome nefrótica. Essa síndrome se refere a um conjunto de sintomas que incluem proteína na urina, baixos níveis de proteína no sangue, altos níveis de colesterol e triglicerídeos e inchaço. A nefropatia membranosa pode ser uma doença renal primária ou pode estar associada a outros distúrbios.


como preparar o corpo para a gravidez

Os seguintes fatores aumentam o risco desta condição:



  • Câncer, especialmente cólon e pulmão
  • Exposição a toxinas, incluindo ouro e mercúrio
  • Infecções como hepatite B, malária, sífilis e endocardite
  • Uso de certos medicamentos, como penicilamina, trimetadiona e cremes clareadores da pele
  • Lúpus eritematoso sistêmico, artrite reumatoide, doença de Graves e outras doenças autoimunes

O distúrbio ocorre em qualquer idade, mas é mais comum após os 40 anos.

Sintomas

Os sintomas geralmente começam lentamente ao longo do tempo e podem incluir:

  • Edema (inchaço) em qualquer área do corpo
  • Fadiga
  • Aparência espumosa da urina (devido a grandes quantidades de proteínas)
  • Perda de apetite
  • Micção excessiva à noite
  • Aumento de peso

Testes e exames

Um exame físico pode mostrar inchaço (edema).



Um exame de urina pode mostrar uma grande quantidade de proteína na urina. Também pode haver algum sangue na urina. A taxa de filtração glomerular (a 'taxa' na qual os rins limpam o sangue) costuma ser quase normal.

Outros testes podem ser feitos para verificar se os rins estão funcionando bem e se o corpo está se adaptando ao problema renal. Esses incluem:

  • Albumina no sangue e urina
  • Nitrogênio uréia (BUN)
  • Creatinina no sangue
  • Depuração de creatinina
  • Painel de lipídios
  • Proteína no sangue e urina

Uma biópsia renal confirma o diagnóstico.

Os seguintes testes podem ajudar a determinar a causa da nefropatia membranosa:

  • Teste de anticorpos antinucleares
  • DNA de fita dupla anti-se o teste de anticorpos antinucleares for positivo
  • Exames de sangue para verificar a presença de hepatite B, hepatite C e sífilis
  • Níveis de complemento
  • Teste de crioglobulina

Tratamento

O objetivo do tratamento é reduzir os sintomas e retardar o progresso da doença.

O controle da pressão arterial é a forma mais importante de retardar a lesão renal. O objetivo é manter a pressão igual ou inferior a 130/80 mm / Hg.

Níveis elevados de colesterol e triglicerídeos devem ser tratados para reduzir o risco de aterosclerose. No entanto, uma dieta pobre em gordura e colesterol geralmente não é útil para pessoas com nefropatia membranosa.

Os medicamentos usados ​​no tratamento da nefropatia membranosa incluem:

  • Inibidores da enzima de conversão da angiotensina (ACE) e bloqueadores do receptor da angiotensina (ARBs) para reduzir a pressão arterial
  • Corticosteroides e outras drogas que suprimem o sistema imunológico
  • Medicamentos (na maioria das vezes estatinas) para reduzir os níveis de colesterol e triglicerídeos
  • Comprimidos de água (diuréticos) para diminuir o inchaço
  • Anticoagulantes para reduzir o risco de coágulos sanguíneos nos pulmões e nas pernas

Dietas com baixa proteína podem ajudar. Uma dieta moderada em proteínas (1 grama [g] de proteína por dia por quilograma [kg] de peso corporal) pode ser recomendada.

A reposição de vitamina D pode ser necessária se a síndrome nefrótica for de longa duração (crônica) e não responder à terapia.

Esta doença aumenta o risco de coágulos sanguíneos nos pulmões e nas pernas. Anticoagulantes podem ser prescritos para prevenir essas complicações.

Expectativas (prognóstico)

O prognóstico varia dependendo da quantidade de proteína perdida. Pode haver períodos sem sintomas e surtos ocasionais. Às vezes, a condição desaparece com ou sem terapia.


__________ contém todos os nove aminoácidos essenciais.

A maioria das pessoas com essa doença terá danos renais e algumas delas progredirão para doença renal em estágio terminal.

Possíveis complicações

As complicações que podem surgir desta doença incluem:


qual é o nível normal de colesterol?

  • Insuficiência renal crônica
  • Trombose venosa profunda
  • Doença renal em estágio final
  • Síndrome nefrótica
  • Embolia pulmonar
  • Trombose da veia renal

Quando entrar em contato com um profissional médico

Marque uma consulta com seu médico se:

  • Você tem sintomas de nefropatia membranosa
  • Os sintomas pioram ou não desaparecem
  • Manifesta novos sintomas
  • Apresenta diminuição do débito urinário

Prevenção

Tratar distúrbios associados imediatamente e evitar substâncias que podem causar nefropatia membranosa pode reduzir o risco.

Nomes alternativos

Glomerulonefrite membranosa; GN membranosa; Glomerulonefrite extramembranosa; Glomerulonefrite - membranosa; GNM

Imagens

  • Anatomia renalAnatomia renal

Referências

Radhakrishnan J, Appel GB. Distúrbios glomerulares e síndromes nefróticas. In: Goldman L, Schafer AI, eds. Goldman-Cecil Medicine . 26ª ed. Filadélfia, PA: Elsevier; 2020: cap 113.

Saha MK, Pendergraft WF, Jennette JC, Falk RJ. Doença glomerular primária. In: Yu ASL, Chertow GM, Luyckx VA, Marsden PA, Skorecki K, Taal MW, eds. O Rim de Brenner e Rector . 11ª ed. Filadélfia, PA: Elsevier; 2020: cap 31.

Salant DJ, Cattran DC. Nefropatia membranosa. In: Feehally J, Floege J, Tonelli M, Johnson RJ, eds. Nefrologia Clínica Abrangente . 6ª ed. Filadélfia, PA: Elsevier; 2019: capítulo 20.

Última revisão em 16/07/2019

Versão em Inglês revisada por: Walead Latif, MD, Nefrologista e Professor Associado Clínico, Rutgers Medical School, Newark, NJ. Avaliação fornecida pela VeriMed Healthcare Network. Também revisado por David Zieve, MD, MHA, Diretor Médico, Brenda Conaway, Diretora Editorial e o A.D.A.M. Equipe editorial.

Tradução e localização por: DrTango, Inc.

Doenca renalDoenca renal Continue lendo Revista NIH MedlinePlus HealthRevista NIH MedlinePlus Health Continue lendo Tópicos de saúde A-ZTópicos de saúde A-Z Continue lendo