Ácido fólico na dieta

Para usar os recursos de compartilhamento nessas páginas, habilite o JavaScript.

Ácido fólico e folato são termos para um tipo de vitamina B (vitamina B9).



O folato é uma vitamina B que ocorre naturalmente em alimentos, como vegetais de folhas verdes, frutas cítricas e feijão.



O ácido fólico é um folato artificial (sintético). Isso é encontrado em suplementos e é adicionado a alimentos fortificados.



Os termos ácido fólico e folato são freqüentemente usados ​​indistintamente.


por que meu bebê chora muito

O ácido fólico é solúvel em água. As quantidades restantes da vitamina saem do corpo através da urina. Isso significa que o corpo não armazena ácido fólico. Você precisa obter um suprimento regular dessa vitamina nos alimentos que ingere ou por meio de suplementos.



Recursos

O folato tem várias funções no corpo:

  • Ajuda no crescimento do tecido e trabalho celular
  • Trabalha junto com a vitamina B12 e a vitamina C para ajudar o corpo a quebrar, usar e criar novas proteínas
  • Ajuda a formação de glóbulos vermelhos (ajuda a prevenir a anemia)
  • Ajuda a produzir DNA, o bloco de construção do corpo humano, que carrega informações genéticas

A deficiência de folato pode causar:

  • Diarréia
  • Cabelos grisalhos
  • Úlceras na boca
  • Úlcera péptica
  • Crescimento atrofiado
  • Inchaço da língua (glossite)

Também pode levar a certos tipos de anemia.



Como é difícil obter folato suficiente dos alimentos, as mulheres que estão pensando em engravidar precisam tomar suplementos de ácido fólico. Tomar a quantidade correta de ácido fólico antes e durante a gravidez ajuda a prevenir certas anormalidades do tubo neural, incluindo espinha bífida. Tomar doses mais altas de ácido fólico antes de engravidar e durante o primeiro trimestre pode diminuir suas chances de aborto espontâneo.

Suplementos de ácido fólico também podem ser usados ​​para tratar a falta de folato e podem ajudar com alguns tipos de problemas menstruais e úlceras de perna.

Fontes de alimentos

O folato é encontrado naturalmente nos seguintes alimentos:

  • Vegetais com folhas verdes escuras
  • Ervilhas e feijões secos (legumes)
  • Frutas cítricas e sucos

Fortificado ou fortificado significa que vitaminas foram adicionadas aos alimentos. Muitos alimentos agora são fortificados com ácido fólico. Alguns desses alimentos são:


o que é sistólica e diastólica

  • Pães enriquecidos
  • Cereais
  • Farinhas
  • Farinha de milho
  • Massa
  • Arroz
  • Outros produtos de grãos.

Existem também muitos produtos específicos para gravidez no mercado que foram fortificados com ácido fólico. Alguns deles contêm níveis que atendem ou excedem a dose diária recomendada (RDA) de folato. As mulheres devem ter cuidado ao incluir uma grande quantidade desses produtos em suas dietas, junto com seus multivitamínicos pré-natais. Nenhuma quantia adicional precisa ser tomada se não fornecer um benefício adicional.

O nível máximo tolerável de ingestão de ácido fólico é de 1.000 microgramas (mcg) por dia. Esse limite é baseado no ácido fólico que vem de suplementos e alimentos fortificados. Não se refere ao folato que é encontrado naturalmente nos alimentos.

Efeitos secundários

O ácido fólico é inofensivo quando usado nos níveis recomendados. Ele se dissolve na água. Isso significa que ele é regularmente eliminado do corpo pela urina, de modo que o excesso não se acumula.

Você não deve ingerir mais de 1000 mcg por dia de ácido fólico. Consumir níveis mais elevados de ácido fólico pode mascarar uma deficiência de vitamina B12.

recomendações

A melhor maneira de obter suas necessidades diárias de vitaminas essenciais é comer uma grande variedade de alimentos. A maioria das pessoas nos Estados Unidos obtém ácido fólico suficiente em sua dieta, porque existe uma grande quantidade no suprimento de alimentos.

O ácido fólico pode ajudar a reduzir o risco de certos defeitos congênitos, como espinha bífida e anencefalia.

  • Mulheres em idade fértil devem tomar pelo menos 400 microgramas (mcg) de suplemento de ácido fólico todos os dias, além do encontrado em alimentos fortificados.
  • As mulheres grávidas devem tomar 600 mcg por dia, ou 1000 mcg por dia se estiverem esperando gêmeos.

A Dose Diária Recomendada (RDA) para vitaminas reflete a quantidade de cada vitamina que a maioria das pessoas deve ingerir diariamente.

  • A RDA para vitaminas pode ser usada como uma meta para cada pessoa.
  • A quantidade de cada vitamina necessária depende da sua idade e sexo. Outros fatores, como gravidez e doença, também são importantes.

Ingestão para indivíduos recomendados pelo Comitê de Alimentos e Nutrição do Instituto de Medicina ( Food and Nutrition Board do Institute of Medicine ) - Ingestão Diária de Referência para Folato:

Bebês

  • 0 a 6 meses: 65 mcg / dia *
  • 7 a 12 meses: 80 mcg / dia *

* Para bebês do nascimento aos 12 meses, o Comitê de Alimentação e Nutrição ( Food and Nutrition Board ) estabeleceram uma ingestão aceitável de folato que é equivalente à ingestão média de folato em lactentes saudáveis ​​nos Estados Unidos.

Crianças


rastrear o caminho do esperma

  • 1 a 3 anos: 150 mcg / dia
  • 4 a 8 anos: 200 mcg / dia
  • 9 a 13 anos: 300 mcg / dia

Adolescentes e adultos

  • Homens, 14 anos e mais velhos: 400 mcg / dia
  • Mulheres, 14 anos ou mais: 400 mcg / dia
  • Mulheres grávidas de todas as idades: 600 mcg / dia
  • Mulheres em lactação de todas as idades: 500 mcg / dia

Nomes alternativos

Ácido fólico; Pteroylmonoglutamate; Poliglutamil folacina; Folato

Imagens

  • Benefícios da vitamina B9Benefícios da vitamina B9
  • Fontes de vitamina B9Fontes de vitamina B9

Referências

Bodnar LM, Himes KP. Nutrição materna. In: Resnik R, Lockwood CJ, Moore TR, Greene MF, Copel JA, Silver RM, eds. Creasy and Resnik's Maternal-Fetal Medicine: Principles and Practice. 8ª ed. Filadélfia, PA: Elsevier; 2019: cap 12.

Comitê Permanente do Instituto de Medicina (EUA) sobre a Avaliação Científica da Ingestão Dietética de Referência e seu Painel sobre Folato, Outras Vitaminas B e Colina. Ingestão dietética de referência para tiamina, riboflavina, niacina, vitamina B6, folato, vitamina B12, ácido pantotênico, biotina e colina. National Academies Press. Washington, DC, 1998. PMID: 23193625 www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23193625/ .

Mason JB, Booth SL. Vitaminas, minerais e outros micronutrientes. In: Goldman L, Schafer AI, eds. Goldman-Cecil Medicine. 26ª ed. Filadélfia, PA: Elsevier; 2020: capítulo 205.

Markell M, Siddiqi HA. Vitaminas e oligoelementos. Em: McPherson RA, Pincus MR, eds. Diagnóstico Clínico de Henry e Gerenciamento por Métodos Laboratoriais. 24ª ed. St. Louis, MO: Elsevier; 2022: cap 27.

Ramu A, Neild P. Dieta e nutrição. In: Naish J, Syndercombe Court D, eds. Ciências Médicas. 3ª ed. Filadélfia, PA: Elsevier; 2019: capítulo 16.

Última revisão em 01/01/2021

Versão em inglês revisada por: John D. Jacobson, MD, Departamento de Obstetrícia e Ginecologia, Escola de Medicina da Universidade Loma Linda, Loma Linda, CA. Também revisado por David Zieve, MD, MHA, Diretor Médico, Brenda Conaway, Diretora Editorial e o A.D.A.M. Equipe editorial.

Tradução e localização por: DrTango, Inc.

Ácido fólicoÁcido fólico Continue lendo Revista NIH MedlinePlus HealthRevista NIH MedlinePlus Health Continue lendo Tópicos de saúde A-ZTópicos de saúde A-Z Continue lendo