ACSS não esgotou todas as capacidades formativas no concurso de 2015

Apesar das garantias dadas pela Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS) e da Ordem dos Médicos, em que todos os esforços foram realizados para abrir o maior número possível de vagas de especialidade em 2015, verificou-se que este entidade não esgotou as capacidades formativas atribuidas pela Ordem dos Médicos (OM).

Esta situação levou a que no concurso de Ingresso na Formação Específica de 2015, 114 médicos viram-se impossibilitados de prosseguir a sua formação especializada pelo número insuficiente de vagas da especialidade.

De facto, quando comparados o Mapa de Capacidades Formativas da OM com o Mapa final de Vagas da ACSS, pelo menos 9 vagas não foram atribuidas:

  • 2 vagas de Anestesiologia no Centro Hospitalar do Oeste
  • 1 vaga de Ortopedia no Hospital Ortopédico de Sant'ana
  • 1 vaga de Ortopedia no Centro Hospitalar do Baixo Vouga
  • 1 vaga de Ortopedia no Centro Hospitalar de Póvoa/Vila do Conde
  • 1 Vaga de MGF ULS de Castelo Branco
  • 1 Vaga de MGF no ACES Ocidental e Oeiras
  • 2 Vagas de MGF no ACES Amadora

A este número acresce, ainda, a grande disparidade existente entre as vagas de especialidade pedidas pelos hospitais/ACES e as Capacidades Formativas atribuidas pela Ordem dos Médicos. Só na ARS Norte estima-se que este número rondará as 60.